5 de jul de 2010

Entre o fogo e a água

Todo menino tem aquele sonho louco de ser astronauta, piloto de avião, general de exército, policial ou bombeiro, talvez por causa da adrenalina que vai a mil em qualquer uma destas profissões. No meu caso a vida me prestigiou com um trabalho mais pé no chão, sentado em frente a um computador, por isso meu corpo pediu socorro um dia e então conheci a corrida. Caminho esse que estou a 9 meses, posso dizer que nasci de novo e como menino me vejo no dia 04/07 numa prova de bombeiros. Mas o relato que vou passar começa a duas semanas antes da prova onde ganho, via twitter uma inscrição da Sansung para participar desta prova. A promoção era para os 3 primeiros que reetwittasse respondendo a mensagem, parei o serviço e fiquei ligado busquei no Google a informação correta e respondi. Mas para minha frustração fui o quarto a responder. Puts! Me senti como o Gyan (jogador de Gana que perdeu o penalti no final da prorrogação contra o Paraguai). Por pouco! Mas nem tudo estava perdido um dos ganhadores da promoção não era de São Paulo sendo assim entrei no lugar dele. Agora era só esperar o dia e participar da prova. Na semana seguinte participei de outra promoção via twitter, e advinha, ganhei mais uma inscrição! Só que o curioso é que esta corrida se chama CORRIDA DO FOGO. Mas tudo o que o homem semear isso ele colherá, esta prova seria no Distrito Federal, portanto tive que abrir mão. 
Do fogo para a água, chegou o dia da corrida. Acordei bem cedo, por volta das 5hs da manhã, enrolei um pouco e me arrumei. O Ipiranga é um marco de São Paulo, estacionei o carro numa rua paralela a Av. Nazaré e fui até o local das tendas, era a minha segunda prova pela Corpore (a primeira foi em janeiro a Oral-B 7km) tudo estava muito bem organizado, sem problemas para pegar o chip e deixar minha mochila no guarda-volumes. Fui até o local do meu pace (5'30''), eu estava bem avontade, não estava na neura de abaixar meu tempo pois não tinha treinado como deveria por motivos profissionais, tudo muito bem legal, banda, Alex Muller como animador da largada (grande repórter esportivo e palestrino da Band, aliás acompanho seu blog no Kigol e recomendo a toda nação alviverde) e às 8hs em ponto...Ouviram do ipiranga...uma buzina e é dada a largada! Começo num ritmo mais rápido que a minha média mas tinha que me controlar e economizar fôlego porque, pela altimetria do percurso, no final uma subida de 2km estaria nos esperando. Me surpreendo porque eu estava bem, sem o desespero que as vezes tenho de passar aquele cara de azul (ou amarelo, ou branco, ou...) que está na minha frente. As ruas tinham um pouco de buracos, por isso precisa de atenção também para não se machucar  e no começo muitas descidas, o clima também ajudou bastante, sem muito calor nem muito frio, entre o fogo e a água. Outra coisa que me ajudou bastante foi o playlist que escolhi, meio nostáugico com sucessos dos anos 90, bem eclético passando por Titãs (Hereditário) chegando até um rap muito antigo do Boy White (Leslie), mas a música que me deu gás na subida final foi From S'Express. Último quilômetro, estava me controlando para não chegar sem fôlego, nos 100m finais dei um sprint com pace de 4'00'' e cruzei a chegada com um tempo líquido de 54:22 e fiquei na classificação geral em 2225 entre 5430 participantes. No final a saída bem organizada, peguei a medalha muito bonita e a camiseta também bem diferenciada. A única crítica que faço foi na hora de pegar as minhas coisas no guarda-volumes, muita gente e sem fila, mas de resto parabéns a Corpore por esta corrida. Meu próximo desafio será Circuito Athenas 16km, se eu não ganhar mais nenhuma inscrição até lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário